Testando
Ah meu caro Lucas ...(hqs brasileiras) - Blog Giges - Cultura Pop, Games e Nerdices

Ah meu caro Lucas …(hqs brasileiras)

Lucas - da vila de Sant’anna da feira

Quando recebi a incumbência de ter que escrever algo sobre HQs admito que dei uma tremida nas bases e me perguntei : escrever o que ? Será que tenho uma boa base pra escrever ? Meus conhecimentos bastam ? Mas isso ? Isso já foi feito por outro blog …. Pois é, essa merda toda me tirou o sono, daí cheguei a conclusão que pra escrever algo deveria ser algo que não está tão em voga, nada de Marvel vs DC, ao menos por ora, nada de listas, por mais que as adore, nada de heroínas sexys (essa vamos guardar pras próximas hein!) e nada de HQs em que os cosplayers já tenham exaurido a criatividade nos eventos dedicados, então fiz alguns filtros e cheguei a conclusão que deveria escrever sobre Historias, boas historias Brasileiras colocadas nos quadrinhos.

Até algum tempo atrás nem sabia que existiam, tampouco sabia que poderiam ser boas pra caralho, até ler a minha primeira, isso graças ao FIQ(Festival Internacional de Quadrinhos) que rola a cada quatro anos em BH. Inclusive será sobre ela que vou falar neste texto, o qual espero que gostem (e se não gostarem deem uma moral assim mesmo , por que ainda estou me borrando de medo de ficar ruim).

Quando andava pelos corredores da feira me chamou a atenção o desenho de capa , que vem com o “Herói” principal da historia , um cara negro , o que já é uma raridade no universo geek, bem mau-encarado, com uma visão extremamente sombria, foi quando decidi folear a HQ e descobri nome de famosos cangaceiros logo nas primeiras paginas alguns bem conhecidos até entre os sudestinos , como o rei lampião, outros nem tanto , como cabeleira , o temível , ou Jesuíno Brilhante, o benfeitor dos pobres. Essas historias me fizeram ter a curiosidade nesses personagens e até no cenário sertanejo daquele período, me fizeram dar um google em cada um dos nomes que lia , foi aí que percebi que estava diante de uma verdadeira obra de arte , e a obra é nomeada como : Lucas – da vila de Sant’anna da feira .

Lucas - da vila de Sant’anna da feira

Lucas – da vila de Sant’anna da feira

Heroi , anti-heroi, vilão , sei lá , o fato é que quanto mais se lê mais duvidas se tem quanto a isso, não dá mesmo pra saber , é o mesmo , dada as devidas proporções, que ver o wolverine caçando os reponsaveis pelo inicio da guerra civil nas historias deste arco , cara , não dá pra saber ….. ele mata, sequestra , salva , beija, abraça e no fim você não quer nem saber o que ele de fato é, e Lucas é exatamente assim, ao menos o Lucas desta narrativa.

A genialidade vai desde a construção da historia até os detalhes de cada traço , quadro a quadro , a historia vai tomando rumos que o fazem pensar : “- Isso devia ser um filme , uma serie ou uma merda assim !”. Mas aí vem o ponto negativo , a historia é curta, rápida, e acaba deixando com um terrível gosto de “puta que o pariu, cadê o resto ?”.  Outro ponto negativo apontado na obra é a forma de destribuição, mas essa não é um particularidade somente desta HQ brazuca, mas todas que tenho lido. Só as encontro em feiras, encontros, sites e tals, diferente das grandes produtoras/distribuidoras, que vemos obras em tudo quanto é banca, em historias muitas das vezes bem inferiores a esta, e honestamente falando, isso me deixa puto pra caralho!

mas , está aí minhas primeiras letras , espero que tenham gostado.

Lucas – Da feira de Sant’anna da feira de , Marcos Franco, Marcelo Lima e Helcio Rogerio.

Informações através de santanadafeira@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Testando

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*